6 principais sinais de falta de leite materno

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Esta questão é talvez uma das principais no processo de amamentação. Ao contrário de uma garrafa, onde os mililitros são claramente medidos, e é seguro dizer que a criança recebeu a quantidade de alimento necessária para sua idade, infelizmente, não há divisões no peito. Mas existem certos sinais que podem dizer o quanto o bebê está cheio.

Sinais de falta de leite:

  • Usando uma mistura ou água com mais de 100 ml por dia (regularmente);
  • Fraldas molhadas reduzidas ao longo do dia;
  • Baixo ganho de peso;
  • Parada de ganho de peso;
  • Ansiedade ou choro durante a alimentação ou imediatamente após;
  • Mamãe tem uma sensação de esvaziamento completo das glândulas mamárias, mesmo com sucção ativa.

Todos esses sinais podem indicar falta de leite , mas o mais importante e objetivo deles é o número de micções na criança e o ganho de peso. Vamos falar sobre eles em mais detalhes.

Quanto o bebê faz xixi?

O número de fraldas molhadas é um indicador muito importante da quantidade de leite e das condições gerais do bebê. Se você contar desde o nascimento, a criança deve escrever quantas vezes for dias, além de outro papa. Este esquema funciona até 10 a 12 dias de vida. Além disso, a norma mínima é de 12 pop-mails. E idealmente – 17-18 (desde que não haja alimentação ou dosagem), e assim por diante até 6 meses.

Como a mãe pode contar a micção? Existem 2 maneiras:

1. Teste de fralda úmida. Mamãe remove a fralda e deixa o bebê em calças ou fraldas e as troca conforme necessário. Se o bebê estiver dormindo, ele precisará ser verificado a cada 20 a 30 minutos. Um teste de fralda úmida pode ser realizado em 12 ou 24 horas. Se o bebê mijar 10 vezes em 12 horas, tudo estará em ordem, mas se 7-8, é melhor contar em um dia.

2. Pesando fraldas. Mamãe coloca na embalagem fraldas descartáveis ​​usadas por dia e as pesa em balanças de bebê. O segundo pacote contém a mesma quantidade de fraldas limpas. A diferença entre fraldas molhadas e secas deve ser de pelo menos 360 ml., Como se acredita que 1 popis = 30 ml., E 12 * 30 = 360

* Se houver suplementação com a mistura, você precisará saber a quantidade exata da mistura consumida durante o tempo em que

Ganho de peso da criança

O segundo indicador principal é o ganho de peso da criança. Mas você deve se lembrar que uma criança não pode ganhar peso bem, não apenas por falta de leite, pode haver muitas outras razões para isso e, portanto, as pesagens são realizadas juntamente com o cálculo do censo.

Desde o nascimento até 6 meses, o bebê deve adicionar pelo menos 18 gramas. por dia (125 gr. por semana, 500-550 gr. por mês). De 7 a 9 meses – pelo menos 12 gramas. por dia e de 10 a 12 meses – pelo menos 9 gramas. por dia

* O ganho de peso é calculado a partir do peso mínimo, não do peso ao nascer.

** Para minimizar o erro, pese a criança na mesma balança, na mesma hora do dia e na mesma roupa (ou sem).

*** A pesagem do bebê antes e após a alimentação não é informativa.

Como agir

Se o número de micções for inferior a 12 e o ganho de peso por semana não atingir 125 gramas, isso é um indicador de que o bebê realmente não tem leite suficiente. Nesse caso, você precisa procurar por razões e tomar certas medidas.

  1. É necessário verificar a correção do acessório e escolher uma posição confortável para a alimentação. A aplicação adequada garante 95% de sucesso na amamentação: o bebê deve capturar o mamilo e a maior parte da aréola (a 2-3 cm do mamilo); os lábios são virados para fora, especialmente o inferior; boca aberta (aproximadamente 140 *); o queixo está firmemente pressionado no peito; ao sugar, nenhum som estranho é ouvido (apenas deglutição); Mãe não dói. Quanto às poses para a alimentação, elas podem ser diferentes, é importante lembrar os pontos principais: a criança deve ser virada com o corpo todo para a mãe (o nariz e os joelhos olham para um lado); mamilo ao nível da esponja superior e nariz da criança; A mãe forma uma dobra do peito paralelo à boca do bebê. A barriga do bebê está firmemente pressionada contra a mãe.
  2. Você precisa se lembrar das regras básicas da amamentação:
  • Alimentação sob demandaGV é um processo mútuo. É necessário levar em consideração tanto a exigência do bebê quanto a exigência da mãe. Isso significa oferecer o peito à criança por qualquer preocupação, ou seja, o bebê resmungar, esticar a língua – dar o peito (até 3 meses obrigatórios). É melhor não chorar. A mãe precisa ir para casa ou está estagnada – ela dá os peitos do bebê a seu pedido.
  • A duração da alimentação é regulada pelo bebêEm média, os bebês sugam 40-50 minutos. Se a criança estiver ativa ao tentar tirar o seio, você não poderá tomá-lo. Você tem que esperar até que ele solte.
  • Alimentação noturna obrigatória do bebêNo intervalo de 12 noites às 8-9 da manhã, deve haver 2-3 anexos. Sem estimulação mamária, o leite pode ser esquecido à noite.
  • Não é necessário ordenhar e alimentar uma criança até 6 mesesA criança não precisa de outros alimentos ou bebidas, desde que tenha HB excepcional e bom ganho de peso.
  • Não é recomendável usar manequins e alimentar com mamadeira com chupetaQualquer outro objeto para chupar sempre chupa, não como seios. A partir daqui começa a confusão dos mamilos e muitos outros problemas (devido ao ineficaz esvaziamento da mama, o leite será liberado menos, portanto, o bebê pode não ter comida suficiente, é possível um ganho de peso insuficiente e a estagnação não é excluída).
  • É indesejável lavar os mamilos antes e depois da alimentaçãoNo peito, existem glândulas especiais (Montgomery), responsáveis ​​pela lubrificação natural, impedindo a pele e o mamilo da aréola de secar. E também tem algum efeito bactericida. Além disso, se você lavar os seios com frequência e usar produtos perfumados ao mesmo tempo, o bebê pode começar a desistir dos seios (já que os bebês são muito sensíveis aos cheiros e lavados com um sabonete perfumado é equivalente a um adulto que enfia o nariz em um pacote de detergente para a roupa).

A criança deve estar sempre cheia. Independentemente se houver uma mistura. Essa mistura para a criança é um medicamento e deve ser administrada a cada hora. Peito antes da mistura, depois e entre. A mistura não é superior a 3-3,5 horas. O volume de ração deve ser múltiplo de 30. A mistura é melhor administrada ao longo do dia. Deixe a noite chupar. 2 processos – alimentação e GV

Faça um teste de fralda molhada

Ritmo de mudança de mama. Você pode frequentemente, pelo menos 10 vezes. O principal é cancelar, caso contrário, pode haver problemas com a barriga.

Técnica de compressão mamária.

 O volume do estômago do recém-nascido:

  • 1 dia – 5-7 ml
  • 3 dias 20-30 ml.
  • 10 dias – 60-80 ml

A dieta diária é de 75 ml por 455 g de peso

A criança deve estar sempre cheia.

 Falsos sinais de escassez

Um dos problemas mais comuns dos bebês que amamentam é a falta de leite, principalmente a administração falsa e, portanto, irracional das misturas. Como resultado, isso leva a uma rápida transição para a alimentação artificial completa devido à formação de uma já verdadeira falta de leite. 

Em 95% dos casos de escassez aparente de leite, não são necessários alimentos suplementares e são prescritos sem qualquer motivo. No entanto, como determinar exatamente se é necessário suplementar ou não? Como tornar a alimentação suplementar a medida certa e temporária e restaurar rapidamente a amamentação completa, afastando-se da alimentação suplementar? Vamos discutir isso juntos.

Sinais que não requerem a introdução de alimentação suplementar

Há momentos em que muitas das nutrizes, por ignorância ou inexperiência, começam a duvidar da suficiência do leite, instigadas por parentes compassivos. 

Sinais de falta de leite são atribuídos erroneamente à falta de vazamento de leite durante as mamadas ou entre as mamadas três a quatro semanas após o parto. No entanto, esse sinal não significa, de forma alguma, uma escassez de leite; apenas indica a transição da mama para a fase de lactação madura com a produção de leite sob demanda, ou seja, a mama não produz um excesso de leite que simplesmente fluiria. 

Ela a produz na quantidade necessária para saturar a criança, para que suas preciosas gotas não sejam desperdiçadas, e com ela as vitaminas e os minerais da mãe. Nas semanas anteriores, a mama foi ajustada ao estilo de sucção do bebê e o corpo começou a produzir leite o quanto a criança precisa, sem gastar demais, para que a mama fique macia e o leite não vaze.

É esse fato que explica o segundo sinal tendencioso da aparente falta de leite – a ausência de transbordamento no peito , a glândula mamária se torna mole. Este é um sinal da mesma lactação madura, quando o leite não se acumula em excesso no peito, transborda e estica a glândula, mas é formado durante a amamentação, proporcionando ao bebê uma saturação suave. Portanto, a sensação de plenitude e ondas de calor desaparecem, o leite é formado de forma estável durante a sucção e muito pouco é formado entre eles.

Outro sinal falso da falta de leite é a impossibilidade de expressar a partir do peito entre as mamadas de qualquer volume significativo de leite. Este não é um sinal de leite insuficiente, mas um sinal de que a mama funciona no modo de alimentação “sob demanda”, produz leite para o bebê em resposta à estimulação da mama por sucção, não há necessidade de produção abundante de leite entre as mamadas, e a mama não ativa e armazena leite dentro. 

A boca do bebê é a bomba de mama mais perfeita e eficaz, nenhum dispositivo eletrônico e mecânico pode expressar o leite com a mesma eficiência que um bebê e, mais ainda, a mãe não poderá expressá-lo com as mãos com a mesma eficácia.

Muitas mães choram durante ou após a alimentação como sinal de falta de leite, mas esse não é um sinal objetivo de falta de leite. Existem muitas razões para chorar durante a alimentação – de cólicas, otites médias, comportamento anormal no peito a mudanças climáticas e apenas desconforto. Geralmente, ao organizar os alimentos sob demanda e em uma resposta oportuna aos sinais do bebê, essas situações raramente ocorrem. Chorar perto do peito é geralmente bebês com muita fome que não conseguem agarrar o peito lotado.

Freqüentemente, a escassez de leite é tomada como uma suspensão prolongada no peito ou a demanda frequente da mama . No entanto, este também não é um sinal objetivo de deficiência de leite. As crianças podem exigir seios não apenas para satisfazer seu interesse nutricional, mas também para saciar sua sede, calma, tédio ou falta de comunicação. O garoto está procurando o mais querido que ele conhece no momento – a mãe e os seios. O melhor remédio para isso é, muitas vezes e por muito tempo se comunicar com o bebê, não o limite nos contatos com o peito.

Mães particularmente originais verificam o grau de saturação do bebê de uma maneira peculiar– depois do peito, eles dão a ele uma garrafa de água ou uma mistura, o bebê começa a sugá-lo reflexivamente, após o que se conclui que há escassez de leite: “É assim que a fome suga e suga”. 

No entanto, o reflexo de sucção é um dos reflexos inatos mais poderosos do bebê, com o mesmo sucesso que ele chuparia um dedo ou um brinquedo colocado na boca. Ao mesmo tempo, o líquido derrama da mamadeira e a criança não tem escolha a não ser engolir freneticamente a massa de água ou mistura que flui para a boca. 

Como resultado, ele come demais, começa a se preocupar e vomita, ou adormece em um sono morto, tentando com todas as suas forças processar uma porção excessiva da bebida ou comida derramada nele. Como resultado, na hora marcada para o peito, o bebê ainda não digeriu tudo o que foi derramado nele, ele se recusa a pegar no peito e forma uma rejeição ao peito. Isso gradualmente leva a uma diminuição da lactação.

Outro falso sinal de falta de leite, muitas mães consideram frequentes despertares de bebês , especialmente aplicações noturnas frequentes. Mas o sono noturno intermitente é a norma para os bebês, eles querem sentir você perto, comer, pois o leite materno é absorvido rapidamente. 

Além disso, a natureza estabeleceu a alimentação noturna ativa, uma vez que o pico de síntese dos hormônios da lactação ocorre de três noites às oito da manhã, momento em que são necessárias pelo menos duas ou três amamentações para manter a lactação estável e prolongada. Se você pular sistematicamente as refeições noturnas, poderá ocorrer uma diminuição no leite durante o dia e a noite no dia seguinte.

Como avaliar – existe leite suficiente?

Os consultores de alimentação natural determinam a suficiência de leite por um conjunto de certos critérios objetivos, e vários pontos são avaliados ao mesmo tempo em sua combinação. Antes de tudo, é necessário realizar um teste de fraldas úmidas, ou seja, uma estimativa do número de micções por dia. Uma quantidade normal é de 8 a 12 fraldas por dia.

Além disso, a dinâmica do ganho de peso é estimada – normalmente o bebê adiciona 20 gramas por dia, mas o aumento geralmente é estimado mensal ou semanalmente, os aumentos diários não são indicativos e dependem de muitos fatores externos. O ganho de peso ideal é considerado de 125 gramas por semana ou 500 gramas por mês.

Juntamente com o teste de fraldas úmidas, são avaliadas a quantidade e natureza das fezes e o desenvolvimento físico e psicomotor geral. Se o bebê cresce e se desenvolve de acordo com as normas, ele é ativo e feliz com a vida, dorme calmamente e come bem, depois de mamar libera o peito, a pele fica macia e elástica e, pelos índices psicomotores, ele não difere das outras crianças – há leite suficiente.

Atenção: todos esses sinais devem ser avaliados sob a condição de aleitamento materno exclusivo, sem suplementação com uma mistura, dosagem com água ou chá.

“Teste de fralda úmida” adequado

Para obter uma imagem objetiva da adequação nutricional em casa, os consultores de lactação sugerem a realização de um teste simples – avaliando o número de micções ou o teste de “fralda úmida”. Por um dia, retire a fralda e considere quantas vezes o bebê urina por dia com a amamentação completa, sem dosear água e suplementos. Ao mesmo tempo, a natureza da urina também é avaliada – ela deve ser praticamente inodora, transparente e muito leve. Uma criança de 7 dias de idade urina mais de 10 vezes ao dia, com uma diminuição no número de urinas para 8-10, é necessária uma monitorização cuidadosa das mamadas e uma aplicação mais frequente e prolongada, com uma diminuição no número de fraldas molhadas abaixo de 6-8, podemos falar sobre falta de leite. Em seguida, é necessária uma consulta médica, com exceção de causas dolorosas e desidratação,

Avaliação de ganho de peso

Para um pediatra e um consultor de alimentação natural, as taxas de ganho de peso por semana e mês são importantes; muito raramente usam o aumento por dia. Se houver suspeita de desnutrição, o médico deve avaliar a dinâmica do desenvolvimento físico e a quantidade diária de leite recebido pela criança de acordo com as normas de idade. Para isso, avalie o comprimento e, acima de tudo, o peso corporal da criança.

O peso corporal responde mais rapidamente aos distúrbios alimentares e é considerado um indicador confiável do estado “atual” da nutrição, enquanto o retardo do crescimento indica uma escassez crônica de nutrientes. A pesagem é necessária para explicar os aumentos diários no peso corporal. Uma diminuição desses indicadores abaixo dos valores da idade padrão e ainda mais quando eles se aproximam dos valores mínimos aceitáveis ​​e abaixo deles indicam desnutrição.

No entanto, as mamas e pesagens de controle previamente praticadas antes e depois da alimentação não são consideradas critérios objetivos e não devem ser aplicadas: pesagens constantes irritam a mãe, incutem insegurança nela e absolutamente não refletem o quadro objetivo da escassez de leite. O fato é que a criança durante o dia apresenta flutuações fisiológicas no apetite e pode sugar diferentes volumes de leite, de 60 a 150 ml por vez, em diferentes mamadas. 

Portanto, especialmente nas condições da clínica, a alimentação de controle pode não refletir a situação de maneira objetiva – é difícil para o bebê sugar efetivamente em um ambiente desconhecido e é difícil para a mãe relaxar nessas condições e fazer uma pose confortável.

Considerando que a criança nem sempre ganha peso uniformemente – existem os chamados saltos de crescimento – frequentes, principalmente a pesagem diária, apenas desorienta os pais. A principal razão pela qual essas pesagens podem ser úteis é calcular o volume diário de leite adicionando o peso para todas as refeições. 

No entanto, este procedimento é bastante cansativo e requer pesos precisos em casa. Portanto, nos três primeiros meses de vida, com o bem-estar da criança, basta pesar 1 vez em 2 semanas, no próximo ano, uma vez por mês. Se houver suspeita de falta de leite, a pesagem pode ser realizada uma vez por semana, seguida pelo cálculo dos aumentos diários.

A principal coisa que você precisa saber: a questão da alimentação suplementar deve ser levantada com uma dinâmica de peso abaixo de 125 g por semana ou 500 g por mês. Além disso, no primeiro mês, o ganho de peso é calculado não a partir do peso ao nascer, mas a partir do peso mínimo, levando em consideração sua perda fisiológica nos primeiros dias após o nascimento.

Um critério adicional para a suficiência do leite é a evacuação regular nas primeiras seis semanas de vida. Em bebês de até 6 a 8 semanas, as fezes podem ocorrer quase após cada mamada, em média de 3 a 6 vezes ao dia, são amarelas. Após essa idade, as fezes podem ser uma vez ao dia ou até uma vez a cada poucos dias devido à absorção quase completa do leite.

No entanto, ao avaliar a dinâmica do peso, também se deve guiar por uma avaliação abrangente da saúde – citarei o artigo “Como fazer uma criança sugar mais leite (protocolo)” por Jack Newman, MD, FRCPC traduzido por V. Nesterova:

“Às vezes, um ganho de peso constante, porém lento, é aceitável. A principal razão pela qual se deseja obter bons ganhos em uma criança é que uma criança saudável geralmente cresce bem. Uma criança em crescimento é geralmente saudável – mas nem sempre é esse o caso. a criança nem sempre se sente mal, mas os médicos estão mais preocupados com as crianças que crescem mais lentamente do que o habitual.Os gráficos de crescimento e peso geralmente são mal interpretados. A criança, cujo peso e altura seguem a marca de 10%, cresce conforme estabelecido nela. Muitas pessoas , incluindo médicos, acreditam que apenas crianças com 50% ou mais de idade crescem normalmente. Isso não é verdade. Para criar esses gráficos, foram usados ​​dados de crianças saudáveis ​​em desenvolvimento normal. Alguém deve ser inferior a 90% das crianças restantes e alguém de peso e altura comuns “.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *