Motivos pelos quais o bebê chora muito, a melhor forma de comunicação de um bebê é através do choro. É assim que ele informa que está com fome, com frio ou mesmo com alguma coisa o incomodando como no caso de uma dor, etc. Ele ainda usa o choro para chamar a atenção, o choro é sem dúvidas o seu maior aliado. Em cada situação, a criança chora de maneira diferente, para que a mãe possa aprender a entender seu bebê, mesmo sem palavras. E quanto mais rápido ela aprender a fazer isso, mais saudável será o sistema nervoso e uma impressão mais favorável será formada no bebê.

1. Bebê chora muito com fome

Uma criança faminta costuma chorar alto exatamente para chamar atenção. Se a mãe pegar essa criança e a amamentar, logo o choro cessa. Quase sempre a mãe responde imediatamente aos sons invocativos do bebê, sem considerar o choro mais intenso. Isso se tornará para a criança um fator na confiabilidade do mundo em que vive agora. A amamentação é o contato físico e psicoemocional com a mãe, satisfazendo sua necessidade de alimentação através da sucção. A propósito, o bebê nem sempre está com fome, mas ele sempre quer mamar. 

Procure entender o choro do bebê

Para evitar esse choro, você pode amamenta-lo e tentar responder aos primeiros sinais: a criança abre a boca, estica a língua, tenta chupar as mãos. Embora a fome esteja em primeiro lugar, está longe de ser o único na lista de causas do choro infantil. Portanto, antes de concluir se seu leite não está sendo suficiente para ele e procurar uma alimentação suplementar, você precisa ter certeza disso. Para a confiabilidade de suas conclusões, é necessário fazer um “teste de fralda úmida” (deve haver um mínimo de 12 por dia) e realizar um controle de pesagem semanal (o ganho de peso deve ser de no mínimo 125 a 130 gramas). O “teste da fralda úmida” é um indicador muito importante da quantidade de leite e das condições gerais do bebê. Este processo funciona de 10 a 12 dias após o nascimento. Além disso, a norma mínima se torna 12 por dia. E o ideal é entre 17 a 18 ( desde que não haja alimentação ou adição), e assim por diante até 6 meses.

Existem 2 maneiras de contar a micção:

1. Teste de fralda úmida. Mamãe remove a fralda e deixa o bebê sem conforme necessário. Se o bebê estiver dormindo, ele precisará ser verificado a cada 20 a 30 minutos. Um teste de fralda úmida pode ser realizado em 12 ou 24 horas. Se o bebê mijar 10 vezes em 12 horas, tudo estará em ordem, mas se 7 a 8, é ficar atenta.

2. Pesando fraldas. Mamãe coloca na embalagem as fraldas descartáveis ​​usadas por dia e as pesa. O segundo pacote contém a mesma quantidade de fraldas limpas. A diferença entre fraldas molhadas e secas deve ser de pelo menos 360 ml., Como se acredita que 1 = 30 ml. E 12 * 30 = 360.

10 principais motivos pelos quais o bebê chora muito

2. Doença ou algum tipo de dor

Choro doloroso é difícil de confundir. O bebê chora de maneira penetrante, sem se acalmar pelos meios usuais. Esse comportamento pode durar várias horas. Nesse caso, verifique a temperatura do mesmo, se está com febre ou outros sinais (vômitos, tosse, etc.)

É necessário aprender a “linguagem” do bebê. 

Por exemplo, se uma criança, depois de mamar, chora bruscamente, se afasta do peito ou começa a gritar alto, isso pode ser um sinal de uma dor no ouvido (otite média). Se o bebê estiver chorando durante a amamentação, você pode suspeitar que ele tenha aftas na boca.

3. Bebê chorando com cólica

Por via de regra, as cólicas aparecem nos bebês por 3 semanas, logo após o nascimento e por 3 a 4 meses costuma passar sem deixar vestígios. O choro de cólica ocorre principalmente à noite. Caracteriza-se como um choro agudo e acalma-se abruptamente. Ao mesmo tempo, o bebê tem dificuldade em sugar (não pega no peito nem em qualquer outra coisa). A criança pode dobrar as pernas, cerrar os punhos, enquanto a barriga também fica esticada. Mas a causa da cólica não está necessariamente relacionada à dor de barriga apenas, mas pode realmente ocorrer devido a gases ou mesmo algum tipo de alergias alimentares.

Nesse caso, ajudará se você pega-lo e balançar lentamente e ajudá-lo a adormecer. Se a barriguinha ainda estiver inchada, você poderá aquecê-la um pouco, e fazer movimentos com as pernas e a barriga empurrando para trás. Ps:  Em nenhum caso o bebê deve ser movimentado com muita força. Qualquer exagero é perigoso para ele, pois pode causar um salto na pressão intracraniana.

4. Choro com Fadiga

As vezes o bebê fica até cansado de tanto chorar, isso é normal, então ele começa gemer até transformar em soluço. Acontece que na barriga da mãe, o bebê estava sempre em movimento, ele se movia conforme o ritmo dela, então a falta de movimento constante é incomum para ele. Neste caso, tente acalma-lo, com movimentos calmos para que ele sinta-se seguro. Esses movimentos tranquilos vai ajudar a acalma-lo. O bebê tinha 9 meses de idade e ouvia os ruídos do corpo de sua mãe, ele estava acostumado e muito confortável. Portanto, qualquer ruído monótono acalma as crianças: água que flui da torneira, secador de cabelo, aspirador de pó, etc.

5. Termo regulação imperfeita

O bebê pode estar com frio ou com muito calor. Gradualmente, a mãe aprende a vesti-lo corretamente, de acordo com a temperatura do local. O principal é saber a quantidade de roupa para ele. Se o bebê estiver com frio, ele começa a chorar bruscamente, e também pode soluçar. De fato, é mais difícil aquece-lo, bebês choramingando com bochechas vermelhas são muito mais comuns. Nesse caso, as ações devem ser opostas, quer dizer tirar o excesso de roupa da criança. Você pode observar que é possível verificar se a criança está com frio ou não, de acordo com as dobras (mais acessível sob o pescoço, mas também nas axilares e inguinais). Se estiver quente nas dobras, significa que está quente e confortável.

mãe trocando as fraldas do bebê

6. Troca de fralda

A criança não gosta de ficar com a fralda molhada ou suja, ou seja, ela vai chorar e então você precisa trocar imediatamente. Além disso, quando um bebê fica muito tempo com a fralda molhada e encharcada de xixi ou cocô, isso pode causar assaduras e o bumbum do nenê fica muito dolorido. É recomendado que todas as vezes em que uma criança fizer suas necessidades fisiológicas que seja feito sempre a higiene local, e assim a troca  de fraldas. Bebê sequinho e com a barriguinha cheia é mais difícil do mesmo chorar.

7. inconveniência e assaduras

Se o bebê estiver desconfortável com dores por causa de assaduras, com certeza vai chorar, e ficar tentando mudar de posição. Nesse caso, é fazer um banho com a temperatura da água adequada, e após usar uma pomada apropriada para assadura. Importante deixar a criança com roupas que sejam o mais confortável possível. Pois roupas apertadas pode doer ainda mais o local sensível. De fato, um recém-nascido tem uma pele muito delicada. Qualquer dano à pele cria desconforto para os bebês que com certeza vai se sentir incomodado e assim a criança vai chorar.               

8. Necessidade de comunicação

Sabemos que o primordial para um bebê é ser entendido e compreendido pela sua querida mamãe. E ele vai utilizar suas formas de chamar atenção, ou para avisar que algo não está bem. Quando esse bebê estava na barriga de sua mãezinha ele se sentia protegido o tempo todo. Agora, ele mais do nunca quer se sentir do mesmo jeito, protegido e com o máximo de atenção voltado para ele. Portanto, mesmo que ele ainda não entenda as palavras de sua mãe, ele consegue absorver que tem alguém ali cuidando e amando ele o tempo todo.

Mas em uma conversa em tons mais elevados, as crianças aprendem melhor e mais rapidamente. Você pode falar de um a dois tons acima do seu discurso habitual, e isso será suficiente para uma melhor percepção do bebê. A criança realmente precisa de contato emocional e psicológico com a mãe, além do contato visual. A criança aprende a expressar suas emoções, assumindo a expressão no rosto de sua mãe. Quanto mais a mãe toca no bebê, acaricia-o, melhor ele cresce e se desenvolve. A estimulação tátil também é necessária para o crescimento ativo do cérebro e de outros órgãos. É interessante que acariciar a palma da mão – acalma o bebê e, ao contrário, tocar levemente na ponta dos dedos estimula a atividade.

9. Dor de Cabeça

Bebês também choram muito com dor de cabeça, sentem muitas sensações desagradáveis por isso a dor de cabeça. Como regra, a cabeça dói em bebês com aumento da pressão intracraniana. Sons muito alto, faz com que a criança tenha dores de cabeça, ou ainda quando tem tempestade, mudança de clima, uma série de fatores.

De qualquer forma, se esses sinais forem repetidos com frequência, faz sentido consultar um médico.

10. Deficiência de lactase

A deficiência de lactase pode ser uma consequência da amamentação inadequadamente organizada. A lactase é uma enzima no sistema digestivo do bebê responsável pela absorção da lactose do leite. Se a enzima não for suficiente, pode provocar desconforto na barriga do bebê. Depois de comer, a barriga da criança incha, pode haver um líquido, espumoso. Caso a criança chore muito após a amamentação, ou logo após, começar sentir com cólicas. Você precisa entrar em contato com um pediatra, ele prescreverá lactase para a criança, para que o leite seja melhor absorvido.

Se a mãe estiver amamentando, é importante monitorar o equilíbrio do leite de frente na mama e o de trás. Como o leite da frente é rico em carboidratos, ele passa pelo trato digestivo do bebê em trânsito virtualmente. Portanto, é extremamente importante que o bebê, o leite da frente, porque é mais gordo, o que normaliza a digestão. É necessário lembrar o regime de troca de mama. Se o bebê tiver menos de um mês, fazer um revezamento das mamas. Significa que, após duas horas de mamada, o bebê querer novamente o seio, é necessário dar outro seio que foi amamentado.

Conclusão

Quando uma mulher está amamentando são inúmeras as dúvidas sobre como vai ser esse período. Por isso, trazemos informações para que as mamães possam acompanhar a esse período tão importante e gratificante. Ressaltando que a melhor alimentação para o bebê é sempre o aleitamento materno, pois esse leite contém todos os nutrientes e vitaminas que a criança precisa.

Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos. Confira outros assuntos sobre amamentação e muito mais aqui em nosso site. Obrigada e até a próxima!

Aproveita e deixe seu comentário