Muitos já ouviram falar de candidíase mamária (infecção por fungos) em uma lactante, vamos falar sobre o que é e como tratar. Em geral, manifesta-se com um revestimento branco na língua, pequenas feridas na boca na membrana mucosa do bebê. Também pode ser na forma de uma mancha vermelha ou brilhante, às vezes erupção cutânea escamosa na área da fralda. E pode não haver sinais externos, mas ao mesmo tempo durante a amamentação a criança fica ansiosa e irritada.

É menos provável que as mães falem sobre candidíase mamária, apesar de estarem diretamente inter-relacionadas, pois na maioria das vezes é a criança que leva a infecção ao seio. Se a mãe tinha aftas durante a gravidez, a criança, passando pelo canal do parto, lambia a flora, de modo que o fungo entrava em sua boca e depois nos mamilos da mãe. Também pode ocorrer candidíase ao tomar antibióticos após o parto.

criança com candidíase mamária

Causa da candidíase mamária

O agente causador da candidíase é o fungo Cândida Albicans. Depois que penetra na pele danificada dos mamilos, a inflamação começa. Uma das causas mais comuns de candidíase é a reação de um organismo feminino ou infantil ao uso de antibióticos. Esses medicamentos os antibióticos, além da microflora patogênica, também destroem bactérias benéficas. E, com isso são criadas condições favoráveis ​​para a reprodução ativa desses fungos. 

Frequentemente, o sapinho ocorre em paralelo com a candidíase oral em bebês.

Sinais da candidíase na mãe

• Os mamilos podem parecer inchados, escamosos, úmidos ou com pequenas bolhas, o que pode causar coceira. A cor geralmente é rosa escuro;
• A mãe sente uma forte queimação na superfície dos mamilos. Dor aguda no mamilo no peito, costas ou braço também é possível;
• A dor persiste durante e após a amamentação;
• Abrasões e rachaduras nos mamilos não cicatrizam por muito tempo;
• Uma infecção vaginal pode piorar.

Mas, apesar dos muitos sinais externos listados, os mamilos podem parecer completamente normais, enquanto estão insuportavelmente doentes.

Muitas vezes, as mães sentem essa dor por desconforto devido ao apego inadequado da criança ao peito.

Os principais sintomas da candidíase nos seios

O desenvolvimento de candidíase mamária pode ser suspeitado por sintomas característicos. Há dor nos mamilos ou no peito, que não desaparece após a amamentação por um longo tempo. Vermelhidão da pele na área dos mamilos, erupção cutânea e descamação é detectada visualmente, coceira é preocupante. Em crianças, a candidíase se manifesta na forma de uma mancha esbranquiçada nas mucosas da cavidade oral da boca, que não consegue ser removida com um guardanapo. Um filme branco pode aparecer nos lábios, a ansiedade durante a amamentação se intensifica. Em alguns casos, a dermatite na região do bumbum do bebê no local da fralda é demonstrada pelo aparecimento de sapinhos.

Se uma mulher sentir dor em um seio ou mamilo, sua temperatura corporal subir, aparecer uma mancha vermelha em uma das glândulas mamárias, você deve imediatamente ir ao hospital para exame, pois essa sintomatologia não é típica para candidíase nos seios.

Captura incorreta – suspeita de candidíase nos peitos da mãe

A ocorrência de dor quase após a primeira aplicação e as consequências (abrasões, rachaduras, etc.) aparecem aproximadamente de 2 a 3 dias após o nascimento, quando isso acontece o bebê chora. Após algumas semanas ou meses de amamentação deve voltar ao normal. Dor antes, durante ou após a amamentação, no início a dor é bastante forte e depois diminui. Após a amamentação, enfraquece significativamente ou para completamente. Na maioria das vezes, a dor se intensifica 10 a 15 minutos após o início da amamentação do bebê, e isso é bem desconfortante. 

A quantidade de leite irá diminuir gradualmente, os sintomas pode variar e até dar aftas na criança.

Como tratar a candidíase mamária

Antes de prescrever a uma mãe que amamenta o médico pode fazer uma coleta em um cotonete para confirmar a infecção. Se o diagnóstico de candidíase nos peitos for confirmado, a mulher receberá tratamento antifúngico. Paralelamente ao tratamento da mãe, os medicamentos deverão ser administrados à criança. Uma vez que os micro-organismos patogênicos que causam as infecções se multiplicam rapidamente e se espalha facilmente através do toque.

Isso se deve ao fato de que, em casos leves, é suficiente o uso de medicamentos externos para as lesões que ocorrem após a amamentação. 

Com a forma avançada de candidíase, as mães podem tomar medicamentos para administração sistêmica (comprimidos). Nesse caso, converse com seu médico sobre a questão se deve continuar a amamentação. Para evitar a propagação da infecção por fungos durante o tratamento, os cuidados a seguir devem ser feitos:

  • 1. A mãe deve lavar bem as mãos após qualquer contato com as glândulas mamárias, trocar fraldas, aplicar medicamentos nos seios.
  • 2. Todos os membros da família devem usar toalhas pessoais.
  • 3. Deve também fazer higienização de todos os utensílios usados na durante a amamentação.
  • 4. Todos os objetos que o bebê possa colocar na boca devem ser esterilizados.
  • 5. A roupa de cama deve ser lavada na temperatura mais alta possível e passada a ferro após a secagem.
  • 6. Se uma mãe está com candidíase mamária e precisa expressar/retirar o leite, ela não deve dar esse leite ao bebê até o fim do tratamento, pois existe o risco de reinfecção. A baixa temperatura não é capaz de destruir o fungo, portanto o leite não deve ser congelado.
lavar as mãos para evitar a candidíase mamária

Recomendações para evitar infecção por candidíase mamária

• Mamãe deve lavar bem as mãos com sabão antes e depois de cada amamentação do bebê;
• É aconselhável excluir alimentos ricos em açúcares e leveduras da dieta;
• Não se deve usar protetores de mama descartáveis ​​(pois eles criam um ambiente favorável para a reprodução do fungo – quente e úmido) ou trocá-los frequentemente;
• Você pode limpar os mamilos antes ou depois da amamentação, e é desejável que eles sequem ao ar;
• Se esses cuidados acima citadas forem ineficazes, será necessário o uso de pomadas antifúngicas. E devem ser prescritas por um dermatologista. 
• Durante o tratamento, o leite expresso não deve ser congelado!

Recomendações para a criança:
• Higienize todos os itens que o bebê leva na boca;
• Você também pode limpar a boca com solução de Nistatina;
• O médico prescreve gotas antifúngicas na boca ou creme na área da fralda.

Tomando todos os cuidados com a higiene tanto da mamãe como do bebê já pode contribuir muito para que seja eliminada com mais rapidez. No entanto, caso perceba que não está melhorando e a criança está sofrendo com a candidíase mamária não deixe de consulta um médico de sua confiança, pois ter o acompanhamento de algum profissional é a melhor opção.

Se você gostou dessas informações, por favor deixe um comentário sobre alguma dúvida e também compartilhe com seus amigos. Confira outros assuntos sobre o universo da maternidade aqui em nosso site. Agradeço e até a próxima.

Aproveita e deixe seu comentário