Uma das maiores preocupações de cada mamãe é ter a quantidade de leite suficiente para amamentar seu bebê, e uma das formas é manter a compressão mamária durante a amamentação. E o que fazer em uma situação em que não há leite suficiente ou pelo menos essa é a sensação que a mãe tem no momento em que o pequeno está sugando o leite.

Acontece que o bebê suga ineficientemente ou rapidamente, e adormece no peito, etc., uma técnica para comprimir a mama pode ser muito útil. Abaixo você mamãe vai conferir como deve ser feita a compressão mamária de forma correta e com isso ficar tranquila com relação a quantidade e fluxo de leite materno para seu filho.

 

compressão mamária
Mãe amamentando sua bebê tranquilamente, após fazer a compressão mamária

Para manter a compressão mamária se necessário:

Se por acaso o bebê apresentar algum dos problemas abaixo, é importante fazer a compressão mamária e se ainda for necessário deve-se levar o bebê ao pediatra de sua confiança.

1. O bebê tem ganho de peso insuficiente;
2. O bebê tem famosa cólica;
3. O bebê mama demais e quer o tempo todo o peito;
4. Hipersensibilidade dos mamilos durante a alimentação na mãe;
5. Galactostase ou mastite frequente;
6. O bebê adormece muito rapidamente durante a amamentação;

A compressão mamária pode e deve ser usada desde os primeiros dias de amamentação do bebê recém-nascido. A técnica realmente funciona, porque mesmo que o bebê ainda não tenha conseguido a pega correta ao seio, ele será capaz de obter nutrição suficiente e desejada. Quer dizer (o bebê receberá mais leite em geral e, em particular, a quantidade de leite gordo também aumentará significativamente).

 

Amamentação com leite materno

É importante ressaltar que a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda fortemente que toda criança deve ser alimentada como leite materno pelo menos até os primeiros seis meses de idade, podendo ser estendido até os dois anos, claro que isso é para as mães que podem amamentar nos seios.

O leite materno contém todas as vitaminas, nutrientes e proteínas que a criança precisa, ou seja, é importante para o crescimento saudável bem como seu desenvolvimento. Outra coisa que também é relevante, é que o fato da mãe amamentar o bebê nos seios, diminui o risco de câncer de mama.

Técnica de compressão mamária

Abaixo confira as 10 técnicas ou dicas para fazer e manter a compressão mamária de forma eficiente. Lembrando ainda, que ao fazer deve estar com as mãos higienizadas, para evitar possíveis inflamações nos seios ou mesmo na boquinha do bebê.

  • 1. Colocamos o bebê no peito;
  • 2. Seguimos a sucção do bebê, se ouvir sons de deglutição, você pode relaxar e alimentar-se com calma;
  • 3. Quando o bebê chupar apenas o peito levemente e não ouvir a faringe, você poderá aplicar a técnica de comprimir o peito.
  • 4. Para fazer isso, segure o peito com a mão livre na mesma base, para que o polegar fique em cima e os outros quatro apoiem o peito por baixo (letra C);
  • 5. Em seguida, aperte o peito. Forte o suficiente, mas para que não haja sensações dolorosas e o peito não mude de forma perto da boca do bebê e, portanto, o apego não muda.
  • 6. Usando esta técnica, o fluxo de leite será retomado e o bebê será novamente engolido.
  • 7. Assim que o bebê parar de engolir, relaxe a mão. Se depois disso parar de sugar, apertaremos o peito novamente. Se a sucção, pelo contrário, se intensificou, você não pode apertar por algum tempo, até que seja necessário.
  • 8. Você pode comprimir o peito quantas vezes puder ouvir a faringe usando compressão. Se isso não ajudar, observe a situação. Faça uma pausa na alimentação ou dê uma segunda mama e repita o processo.
  • 9. É possível transferir o bebê de um peito para o outro durante uma mamada, conforme necessário;
  • 10. Quando a situação da amamentação melhorar, você pode parar de usar a técnica de comprimir a mama.

Utilizando essas técnicas corretamente, você vai contribuir para que seu filho se alimente com o melhor e mais completo alimento que a mãe natureza fornece através dos seios da sua mãe e se sinta satisfeito. Um bebê que não mama bem, chora muito, pois é uma forma dele chamar a atenção, quando ele chora é um aviso, que preciso de algo, nesse caso, mamar mais.

Para mamães que tem problemas com mamilos invertidos, existe muitas indicações do que pode e deve ser feito, para que seu filho seja alimentado e você também se sinta muito bem. A preocupação é buscar soluções para que as dificuldades do dia a dia de uma mãe que amamenta não venha ser um obstáculo a ponto dessa mãe pensar em desistir da amamentação natural. 

Se você gostou desse artigo e lhe foi útil, deixe seu comentário de como foi ou está sendo a amamentação de seu filho e confira outros artigos aqui em nosso site sobre maternidade. Siga-nos em nossas redes sociais. Agradecemos e até a próxima!

Aproveita e deixe seu comentário