Ser mãe de dois filhos com intervalo de dois anos é ter felicidade e estresse ao mesmo tempo. Vamos falar hoje sobre 15 dicas para cuidar de dois filhos pequenos ao mesmo tempo. Isso significa ter um consumo muito maior de fraldas descartáveis e uma verdadeira correria para dar conta dos dois pequenos conforme precisa, claro no caso de não ter uma babá, pois quando temos uma, tudo fica mais fácil.

Casal em um momento de lazer com dois filhos pequenos
Casal em um momento de lazer com dois filhos pequenos

Mãe de dois filhos pequenos

A vida de mãe, dona de casa, esposa e as vezes ainda desenvolve outras tarefas para ajudar na economia da casa, é, isso requer muito esforço, dedicação e amor. Quando se tem um filho pequeno, é necessário saber como administrar muito bem o tempo entre as tarefas e correrias do dia a dia, mas e quando a mãe tem mais de um filho pequeno?

Nesse caso, é com certeza importante saber como lidar com tudo ao mesmo tempo, controlar os gastos com materiais que são necessários tais como: fraldas, produtos de higiene, alimentação e muito mais. No entanto, existem milhares de mães que dão conta do recado com maestria, vamos conferir abaixo algumas dicas para cuidar dos filhos com mais tranquilidade.

 

1. Aloque tarefas

Lógico: se você cuida de dois filhos pequenos, não pode cuidar de tudo em casa e fazer tudo a tempo e hora sozinha. É por isso que toda ajuda do papai é importante. Isso alivia a mãe que não fica sobrecarregada de serviços. Mas o efeito de aprendizado com relação aos gastos com os pequenos também não deve ser subestimado: comprar tudo em dobro fica mais difícil. 

Qualquer pessoa que faz a limpeza na casa, enquanto esfrega o banheiro regularmente e além disso apoiada por um bebê chorão e uma criança altamente motivada – se abstém de fazer perguntas estúpidas no futuro: “E o que você realmente fez hoje, querida?”, como se todo trabalho da casa não fosse cansativo e não ocupasse boa parte do dia.

 

2. Desejos expressos

Com o segundo filho, especialmente se a distância for curta entre o nascimento de um e do outro, você costuma ter tudo o que as crianças precisam: berço, macacão, brinquedos fofinhos, e em grande parte, dá para aproveitar boa parte das roupas ou outros utensílios.

Se os avós, tios ou amigos ainda quiserem fazer a mãe de primeira viagem feliz, eles podem fazê-lo na forma de tempo livre: ficando algum período do dia com os bebês, por exemplo, passeando com eles pelo parque, enquanto isso sobra tempo para a mãe fazer outra atividade, como passar uma cesta grande de roupa ou o que mais lhe for devido. Agora se as crianças ficarem na casa dos avós um dia inteiro, quem sabe dá pra mãe descansa umas horinhas.

 

3. Organize bem a família

Fazer compras uma vez por semana é mais eficaz do que sair diariamente. Aqueles que introduzem regularmente dias de massa, pizza, arroz e batata não precisam pensar uma e outra vez. “O que eu estou cozinhando hoje?” e está com a cabeça limpa para coisas mais importantes da vida: abraçar os pequenos no tapete da sala ou tornar os playgrounds da área inseguros. 

Assim a mamãe terá tempo livre uma vez por semana. Então o que ela faz? São muitas opções como ir ao cinema com sua melhor amiga, uma partida de ciclismo no parque, ou ainda, passear pelo shopping da cidade, quem sabe também ela possa ser mimada pela esteticista ou lê 50 páginas de histórias de crime – no café, não na sala de estar. Resumindo, tirar um tempinho especial para ela.

 

4. Hora de dormir com dois filhos pequenos

Antes de dormir, duas crianças pequenas: um desafio todas as noites. Um está cansado e quer dormir, o outro não. O filho maior quer ouvir sua história de ninar abraçando a mãe, o pequeno reclama e quer ser carregado. Então ninguém vem descansar. Obtenha ajuda, se possível. Papai está atrasado do trabalho? quem pode ajudar e empurrar o pequeno no carrinho enquanto você calmamente prepara o maior para a cama.

Se você estiver por conta própria, tente amamentar o pequeno enquanto você lê a história de ninar. Com um pouco de sorte, os dois adormecem. Nem sempre funciona. Coloque a criança no berço apenas quando tiver certeza de que ela está dormindo profundamente. Caso contrário, seu irmão maior chora novamente. Até que vocês finalmente durmam, você não tem escolha a não ser ficar com ela.

 

5O seu ritual de sono ainda se encaixa?

Tente adaptar seu ritual de sono anterior para que seja coerente para as duas crianças. Talvez você cante primeiro com a criança mais maior. Então você lê a história de ninar na frente da cama do bebê com a criança maior no colo, isso ajuda também no sono do bebê. A melhor maneira de fazê-lo depende dos personagens e tipos de sono de seus filhos.

Com o tempo as duas crianças aceitam que a mãe fique de pé em uma cama e na outra antes de deixar o berçário. É interessante manter uma rotina de horários para dormir, assim que eles pegarem no sono, sobra um tempo para mamãe descansar ou mesmo cuidar de alguma tarefa.

Leia também um artigo sobre a real necessidade do sono das crianças.

 

6. Agora é mais fácil

A vantagem de dois filhos é que ninguém mais precisa dormir sozinho. A experiência mostrou que mudar para o quarto das crianças é muito mais suave com a chegada do segundo filho, pelo menos nos primeiros meses. O sono das crianças sempre chega quando eles brincam e gastam muita energia.

Talvez essa seja uma forma de auxiliar no sono do bebê e da criança maior. Brincar com eles e estimular bastante os movimentos deles, assim, em pouco tempo, após tomar um banho morno e gostoso, eles costumam deitar e dormir um belo e longo sono.

 

7. Proibido quem chega tarde em casa

A história de ninar acaba de terminar quando papai chega em casa e quer se aconchegar com os dois filhos. O desejo de papai é totalmente compreensível, mas isso o fará voltar uma hora agora. Porque as crianças realmente voltam a aparecer quando o tão esperado pai de repente quer brincar com eles.

Papai ou consegue chegar em casa meia hora mais cedo e assume a história de ninar. Ou o beijo de boa noite tem que esperar até que as duas crianças durmam profundamente. No fim de semana, no entanto, é ainda mais importante que o pai os coloque para dormir, pois isso é bom para as crianças e a mamãe tem um tempinho para descansar.

 

8. Lidando com ciúmes do filho maior

Quando dois ou mais colegas trabalham em um projeto, eles precisam coordenar regularmente quem está fazendo o que. Não é diferente em uma família que tem dois filhos pequenos. O filho maior está com muito ciúmes agora, como podemos ajudá-lo? Como explica-lo quem em breve irá para a creche? Onde vamos de férias e quem se importa?

Quem tem compromissos importantes em um futuro próximo e precisa ser aliviado? Somente quem sabe o que está incomodando o outro puxa na mesma direção. É aí que entra o diálogo, ir conversando com o maior para que ele comece entender que é o mais crescido e que também é muito amado.

 

9. Uma noite de amor, indo ao cinema

Importante: deve ser divertido para ambos e ajudar a deixar a vida cotidiana para trás por algumas horas. O casal com certeza precisa e merece tirar um tempo somente para eles, papai e mamãe devem sair juntos, claro, tendo a certeza que tudo irá ficar bem enquanto estão a sós.

Esse tempo entre casal fortalece a relação e também ajuda na questão física, um descanso para ambos. Para fazer isso, vale pedir ajuda aos avós ou ainda contratar uma babá de confiança para ficar com os dois filhos pequenos.

 

10. Procure ajuda nas tarefas

Você pode fazer acordos claros sobre quem limpa a cozinha e quando e depois renegociar regularmente. (“Estou tão cansada hoje” ou “esqueci-me totalmente”). Você também pode sair e delegar trabalho. Contratar uma faxineira e uma babá regular garantem mais paz na família. Para isso, é melhor adiar outras compras.

Mesmo que não tenha condições de contratar alguém por mês, a ideia de ter uma pessoa para ajudar na limpeza pesada é muito bem vinda.

 

11. Administrar o dinheiro 

As famílias mais jovens têm pouco dinheiro porque – temporariamente – geralmente só têm de se contentar com um salário. E isso em uma fase que é exaustiva o suficiente, sem preocupações financeiras. A terapeuta de casal Eva Tillmetz, portanto, defende o investimento no futuro do amor: pagar para uma babá ou uma faxineira ajuda muito no relacionamento.

 

12. Dividindo as crianças

Dois filhos pequenos em geral cansam muito, uma sozinha é um prazer que você deve tratar regularmente. Por exemplo: mamãe sai para tomar um grande sorvete, enquanto papai assiste futebol com o bebê (dormindo). Ou: Papai toma café da manhã com o grandalhão, enquanto mamãe amamenta o menor em paz. Sabendo dividir as obrigações, não pesa para nem para o papai ou a mamãe.

 

dois filhos pequenos
Casal em um momento de lazer com dois filhos pequenos

13. Deixe o filho maior crescer

As crianças têm orgulho de tudo o que podem fazer. O maior pode ir ao zoológico com a avó – e o bebê mais novo terá que ficar em casa. O maior vai comer um lanche ou comer outras guloseimas e o bebê menor só recebe leite. Então é preciso saber administrar, pois ao contrário somente um deles vai ficar satisfeito, quer dizer saber conduzir as diversas situações quando se tem dois filhos pequenos é fundamental.

Mais uma vez o diálogo é muito importante, o filho maior, em pouco tempo estará entendendo muito bem tudo que está acontecendo. O filho menor no entanto, na maioria das vezes, fica com ciúmes e é mais difícil de compreender algumas coisas.

 

14. Deixe o filho maior ser pequeno

Qualquer pessoa que tenha um irmãozinho ou irmã aos 18 meses de idade cresce automaticamente e deve poder repentinamente fazer tudo sozinha: comer sozinha, ser razoável, esperar até que o bebê menor não precise mais da mãe.

O filho maior está crescendo e isso ajuda muito, já compreende bem as coisas. Enquanto o bebê está dormindo, mamãe e papai aproveitam o tempo para um breve descanso.

 

15. Preste atenção às diferentes necessidades

É muito prático em tese ter duas crianças pequenas, ou seja um vai para o curso de natação, um clube de futebol, uma aula de balé. Mesmo que facilite a vida cotidiana dos pais, não faz necessariamente justiça às diferentes habilidades e preferências das crianças. 

O pequenino fica frustrado porque o maior pode fazer tudo melhor, o grandão fica irritado porque precisa esperar pelo pequenino. Enfim, os pais precisam entender bem essa “disputa” entre os irmãos. Com carinho e atenção, cada um vai entendendo o quanto é amado e os ciúmes podem diminuir.

 

Dicas de sobrevivência para os pais com dois filhos pequenos

Antes do nascimento:

  • Os pais devem ver realisticamente que estão enfrentando muito estresse e não farão muito depois que o segundo filho nascer.
  • Para a criança mais velha, a barriga da mãe em crescimento tem um componente ameaçador que geralmente é subestimado e abordado.
  • Eduque seu filho sobre o que está em sua barriga. Talvez mostrando fotos da primeira gravidez e dizendo à criança que ela tinha tudo.
  • Não anuncie o bebê ao seu filho mais velho como futuro companheiro de brincadeira. Caso contrário, ele se sente irritado ou até mentiu após o nascimento. Porque, por um longo tempo, o irmão é principalmente um bebê que precisa de cuidados, que os pais precisam cuidar o tempo todo.
     

No nascimento:

  • Garante que seu filho seja bem cuidado durante o nascimento do irmão, para que não haja um ritmo agitado quando ele realmente começar.
  • Quando você conhece o recém-nascido, pode dar um presente à criança mais velha, para que o bebê leve algo para a criança mais velha.
  • Organiza a primeira vez para que a mãe cuide do bebê e o pai ou os avós cuidem do primogênito. Caso contrário, a criança mais velha compete com o bebê em termos de atenção e cuidados. Mas isso é demais para a mãe e o primeiro filho.

Após o nascimento:

  • Esteja ciente de que seu filho mais velho – especialmente se foi o primeiro filho – experimenta a situação como uma violação de seu trono, não importa o quão amorosamente você cuida dela.
  • Agora mostre à criança mais velha fotos do seu tempo como um bebê pequeno para mostrar que ele recebeu toda a atenção.
  • Permita sentimentos de raiva e agressão ao seu filho em relação ao bebê. Se a criança mais velha “acariciou” seu irmão com bastante delicadeza, fale com o que é. Por exemplo, assim: “Vi que você estava brava com Maria. É estúpido se eu sempre a tenho em meus braços agora”. Seu filho então se sente visto e levado a sério em seus sentimentos. Claro, você deve proteger o recém-nascido de ações agressivas. Talvez você e seu filho joguem um travesseiro juntos para que possam se livrar da raiva de outras maneiras.
  • Se seu filho mais velho de repente quer ser pequeno novamente, quer uma mamadeira, quer usar fraldas de novo ou precisa de chupeta – permita essas regressões e ao mesmo tempo fortaleça os pontos fortes da criança maior. Por exemplo, dizendo a ele: “Você pode andar bem, o bebê ainda não pode”.
  • Concede uma “hora do príncipe” à criança maior uma vez por semana. Isso significa: deixe o bebê cuidar da avó em uma data fixa e esteja lá para o seu filho grande. Interrupções, por exemplo, por telefone, você não permite durante a “hora do príncipe”.
  • As frequentes fases da amamentação na rotina diária são frequentemente críticas para a criança mais velha. Talvez você às vezes faça da amamentação uma campanha conjunta de alimentação e ofereça seu filho para alimentar a mãe ou a boneca a tempo.
  • Um consolo para tempos difíceis: Mesmo que a criança mais velha tenha dificuldades – conseguir um irmão significa um curso intensivo de competência social, do qual se beneficiará em sua vida futura.

Deixe nos comentários sua experiência na criança de dois filhos pequenos, e compartilhe com seus amigos esse artigo. Confira aqui em nosso blog outros assuntos relacionados a maternidade. Obrigada e até a próxima!

Aproveita e deixe seu comentário