A escleroterapia é um tratamento realiza pelo médico angiologista para remover ou reduzir veias, e por isso, é bastante utilizado para tratar vasinhos na pele ou varizes. Por esse motivo, a escleroterapia é também conhecida como “aplicação para varizes” e normalmente é realiza com a injeção de uma substância diretamente na variz para removê-la.

Depois do tratamento com escleroterapia, a veia tratada tende a sumir no decorrer de algumas semanas, e por isso, pode ser necessário até um mês para notar o resultado final. Esse tratamento pode também ser utilizado em outros casos de veias dilatadas, como hidrocele ou hemorroidas, por exemplo, apesar de ser mais raro.

1. Que tipos existem?

Há 3 tipos principais de escleroterapia, que mudam conforme a forma como é realizada a destruição das veias:

  • Escleroterapia com glicose: também conhecida como escleroterapia por injeção, é especialmente utilizada para tratar pequenas varizes e vasinhos. É realizada com a injeção de glicose diretamente na veia, o que provoca irritação e inflamação do vaso, resultando em cicatrizes que terminam por fechá-lo;
  • Escleroterapia laser: é uma técnica mais utilizada para remover vasinhos das pernas, do rosto e do tronco. Nesse tipo, o médico usa um pequeno laser para ampliar a temperatura do vaso e provocar a sua destruição. Por usar laser, é um procedimento mais caro.
  • Escleroterapia com espuma: esse tipo é mais utilizado em varizes grossas. Para isso, o médico injeta uma pequena quantidade de espuma de dióxido de carbono que irrita a variz, fazendo com que forme cicatrizes e fique mais disfarçada na pele.
  • O tipo de escleroterapia deve ser abordado com o médico dermatologista ou angiologista, pois é importante analisar todas as especificidades da pele e da própria variz, para escolher o tipo com melhor resultado para cada caso.

2. Quem pode fazer escleroterapia?

A escleroterapia normalmente pode ser utilizada em quase todos os casos de varizes e vasinhos, contudo, como é um método invasivo, deve ser usado somente quando outros métodos, como a utilização de meias elásticas, não são capazes de reduzir as varizes. Assim, deve-se sempre analisar com o médico a hipótese de começar esse tipo de tratamento.

O ideal é que a pessoa que vai fazer esse tratamento não tenha excesso de peso, para garantir uma melhor cicatrização e o aparecimento de outros vasinhos.

3. Fazer escleroterapia dói?

A escleroterapia pode causar desconforto ou dor quando a agulha é colocada na veia ou depois, quando o líquido é inserido, pode gerar uma sensação de queimação na área. No entanto, esta dor normalmente é suportável ou pode ser atenuada com a utilização de uma pomada anestésica na pele, por exemplo.

4. Quantas sessões são precisas?

O número de sessões de escleroterapia muda muito conforme cada caso. Por isso, enquanto em alguns casos pode ser preciso somente uma sessão de escleroterapia, há casos em que pode ser necessário realizar outras sessões até alcançar o resultado esperado. Quando mais visível e grossa a variz a ser tratada, maior precisará ser o número de sessões necessárias.

6. Quais os possíveis efeitos colaterais?

Os efeitos colaterais da escleroterapia envolvem sensação de queimação na área logo após a injeção, que tende a sumir em algumas horas, geração de pequenas bolhas no local, hematomas, que aparecem quando as veias são muito frágeis e tende a sumir espontaneamente, manchas escuras na pele, reações alérgicas a substância utilizada no tratamento e inchaço.

7. Que cuidados se deve ter?

Os cuidados na escleroterapia devem ser tomados antes e depois do procedimento. No dia anterior a escleroterapia, deve-se evitar fazer a depilação ou aplicar cremes na área onde vai ser realizado o tratamento.

Após a escleroterapia, indica-se:

  • Utilizar uma meia de compressão elástica, tipo Kendall, durante o dia, por pelo menos 2 a 3 semanas;
  • Não fazer depilação nas primeiras 24 horas;
  • Evitar exercício físico exaustivo durante 2 semanas;
  • Evitar tomar sol por, pelo menos, 2 semanas.

Embora o tratamento seja eficaz, a escleroterapia, não impede a produção de novas varizes, e, por isso se não forem tomados os cuidados como utilizar sempre a meia elástica e evitar ficar muito tempo em pé ou sentado, outras varizes poderão surgir.

8. Os vasinhos e as varizes podem voltar?

As varizes e vasinhos com a escleroterapia raramente voltam a aparecer, no entanto, como esse tratamento não trata o motivo das varizes, como o estilo de vida ou o excesso de peso, novos vasinhos e varizes podem aparecer em outras áreas da pele.