Lactoferrina | a proteína multifuncional do leite materno

Lactoferrina é a proteína multifuncional mais importante do leite materno O artigo destaca as funções e suas propriedades fisiológicas, o papel da lactoferrina na prevenção da anemia por deficiência de ferro em uma criança, os resultados de um estudo dos nutrientes do leite materno para esse conteúdo. 

Sempre é bom reforçar que a OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda e incentiva que as mamães alimentem seus bebês com leite materno desde os primeiros dias de vida até pelo menos o sexto mês, podendo ser estendido até os 2 anos de idade.

 

lactoferrina
Bebê mamando leite materno no seio de sua mãe

Lactoferrina e suas funções no leite materno 

A lactoferrina é um representante da família das transferrina. Que é sintetizada pelas células epiteliais das glândulas internas dos mamíferos e está amplamente presente em vários fluidos secretores, como leite, saliva, lágrimas e secreções nasais. Ela é um dos componentes do sistema imunológico do corpo, participa do sistema de imunidade humoral inata, regula as funções das células imunocompetentes e é uma proteína da fase aguda da inflamação. 

A lactoferrina é uma proteína multifuncional do leite materno, cujas propriedades protetoras são únicas. Inicialmente, ela era considerada apenas como uma proteína do leite de ligação ao ferro com propriedades bacteriostáticas. Mas, até o momento, ficou indicado que essa proteína possui múltiplas propriedades fisiológicas.

 

Apenas alguns estão listados abaixo. E quantos mais não sabemos!…

1. A função mais estudada é a regulação do ferro no organismo. A regulação correta da concentração de íons de ferro no corpo é vital, pois o ferro está envolvido em muitos processos metabólicos. No entanto, um excesso de ferro não é menos prejudicial que sua deficiência. E leva à ativação do crescimento microbiano, à destruição de células sob a influência de radicais livres. 

Supõe-se que o papel da lactoferrina durante a alimentação seja mascarar o ferro no leite. Ela atua como um fator que limita o conteúdo de ferro disponível para os micro-organismos. Ao ligar íons de “excesso” de ferro e outros metais, a mesma priva a flora patogênica dos oligoelementos vitais.

2. A principal função dessa proteína é proteger as membranas mucosas dos patógenos. Foi ainda estabelecido, que ela é efetivamente usada para proteger o corpo da criança contra infecções entéricas. E tem a capacidade de suprimir uma ampla gama de agentes microbianos. O mecanismo mais estudado da ação antibacteriana da proteína é a interação específica com a membrana bacteriana externa, o que leva à morte de células bacterianas.

3. Está provado que a lactoferrina possui atividade antiviral contra uma ampla gama de vírus humanos. No momento, é mostrada a ação da proteína contra os vírus: herpes simplex 1 e 2. Citomegalovírus, HIV, vírus da hepatite C, hantavírus, rotavírus, poliovírus do primeiro tipo, adenovírus, vírus respiratório sincicial, vírus da leucemia de Friend. Por isso que a interrupção do aleitamento materno, tão frequentemente praticada em hospitais, é um erro muito grave na terapia.

4. Além da ação antimicrobiana direta, a lactoferrina pode afetar o processo inflamatório causado pela infecção microbiana. Isso é confirmado por experimentos em que sua presença protege contra gastrite induzida por Helicobacter pylori. Mantém a integridade da mucosa intestinal dos efeitos do lipopolissacarídeo bacteriano, reduz a toxicidade e até a mortalidade com alta infecção pela cepa enterotóxica de E. coli.

5. A lactoferrina também possui atividade antifúngica. Por exemplo, contra Candida albicans – simbiontes que formam colônias na mucosa oral de pessoas saudáveis. A administração oral dela, reduz o número de organismos patogênicos. Em tecidos próximos ao trato gastrointestinal. Além disso, pacientes infectados pelo HIV com Candida albicans resistentes a antifúngicos se livraram completamente da infecção fúngica após a introdução de uma mistura contendo lactoferrina.

 

6. O tratamento com lactoferrina de pacientes com câncer, administrado por via intravenosa, mostra resultados positivos. 

7. Sabe-se que, o crescimento e desenvolvimento do trato gastrointestinal, de recém-nascidos, que são alimentados com leite materno é muito mais intenso. Essa descoberta aumenta a importância dela no trato gastrointestinal da criança: a lactoferrina não é apenas uma fonte de ferro e aminoácidos, mas também promove o crescimento celular.

8. Verificou-se que a lactoferrina protege os ossos do afinamento (osteoporose). 

 

Funções no crescimento ósseo

Os resultados da pesquisa mostram que a lactoferrina é o ativador mais poderoso do crescimento ósseo em comparação com fatores já conhecidos, incluindo o fator de crescimento epidérmico. Assim, as propriedades fisiológicas da lactoferrina são surpreendentemente diversas. Estes incluem:

  • Proteção do corpo contra infecções bacterianas, virais e fúngicas;
  • Monitorar a concentração de íons de ferro em fluidos biológicos;
  • Atividade anti-inflamatória e imunomoduladoras;
  • Regulação do crescimento e diferenciação celular (para tecido ósseo e intestino);
  • Retardando o crescimento de tumores cancerígenos e metástases.

 

Lactoferrina e Anemia

De toda a anemia, a deficiência de ferro (AID) é a mais comum, respondendo por aproximadamente 80% de toda a anemia. A AID é uma síndrome clínica e hematológica caracterizada pela diminuição da síntese de hemoglobina devido à deficiência de ferro, que se desenvolve no contexto de vários processos patológicos (fisiológicos).

A deficiência de ferro em crianças leva a um aumento da morbidade infecciosa do sistema respiratório e do trato gastrointestinal. 

O ferro é necessário para o funcionamento normal das estruturas cerebrais da criança. Com seu conteúdo insuficiente o desenvolvimento neuropsíquico dela criança é interrompido. A absorção de ferro é especialmente ativa no leite materno, embora seu conteúdo seja pequeno – apenas 1,5 mg por litro; a biodisponibilidade do ferro no leite materno é de até 60%. A lactoferrina no leite materno é encontrada em duas formas: saturada e não saturada. 

A proporção de formas varia dependendo do período de lactação. Durante os primeiros 1 a 3 meses de vida, a forma saturada de transporte de ferro dela prevalece. A presença de receptores específicos para a lactoferrina nas células epiteliais da mucosa intestinal promove a adesão da mesma a eles e sua utilização mais completa.

O fator mais importante na correção da deficiência de ferro é uma dieta balanceada e, principalmente, a amamentação natural. O leite materno não apenas contém ferro em uma forma altamente bio disponível, mas também aumenta a absorção de ferro de outros produtos consumidos simultaneamente com ele.

 

lactoferrina
Criança sendo amamentada no seio de sua mãe com leite materno

 

Conclusão

A importância do leite materno em todo desenvolvimento e uma criança é sem dúvidas essencial. Uma mãe que pode e amamentar seu filho, está contribuindo para uma vida saudável de seu filho. Leite materno contém vitaminas, ferro e muito mais. 

Quando uma mulher está amamentando são inúmeras as dúvidas sobre como vai ser esse período. Na verdade, tudo que ela deseja é ver seu filho bem alimentado e saudável. Por isso, trazemos informações para que as mamães possam acompanhar a esse período tão importante e gratificante.

Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos. Confira outros assuntos sobre amamentação e muito mais aqui em nosso site. Obrigada e até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *